25 fevereiro, 2014

A EVOLUÇÃO DO SKATE FEMININO NO BRASIL




www.ameeloja.com.br
Catarina Hu na capa do zine Check It Out- 1998- Ollie

site: QIX MISSY

 Para a minha reestreia no site da Qix, eu escolhi escrever um resuminho sobre o skate feminino no Brasil desde da década de 90 para os tempos de agora.

 Quando eu comecei a andar de skate ( 1998/1999) o skate feminino era algo totalmente diferente do que ele é hj ( 2014). 
 Entre 1994 e 2001 costumavam se reunir entre 4 a 5 skatistas e lutavam para inserir a categoria feminina nos campeonatos que só podia competir os meninos  e  de tanto fazerem isso, alguns organizadores começaram a dar atenção ao skate feminino  e colocavam também a categoria feminina em seus campeonatos, nem se fosse só para as meninas se apresentarem.
 
 Tudo isso era muito legal!!! Isso resultou em amizades , trocas de ideias , experiências que tinhamos em cada cidade e estado que visitado ( pois não tinha internet, downloads de vídeos, facebook, blogs,  skypes etc). Então estes contatos e troca de informações foram muito importante.
  Nesta época as skatistas da cena eram a Giuliana Ricomini, Liza Araújo, Catarina Hu, Ana Paula Negrão, Evelyn Trevisan, Luizinha, Meduza, Renatinha Paschini, Adelita, Luana, Patrícia Rezende, Graciele Santiago, Dinha, Luciana Ellington, ...enfim...meninas que começaram a dar uma cara diferente para o skate feminino . Nesta época também tinha a revista /zine Check it Out, que foi um meio de comunicação e informação para o skate feminino muito importante.
 

 Mais tarde, veio as skatistas Tat Marques(eu), Marta Linaldi, Patiane Freitas, Monica Messias, Larissa Carollo, Karen Feitosa, Karen Jones, MaryJane (RJ), Renatinha ( Brasília) entre muitas outras skatistas,  que tiveram oportunidade de correr muitos campeonatos e circuitos bons, com  manobras técnicas de alta nivel .

   
Ainda nesta época foi formada a ABSFE ( associação brasileira de skate feminino) formada só por skatistas com a ajuda do Ale Viana, na época presidente da CBSK. E foi com esta associação que conseguimos dividir a categoria em 2 modalidades ( fem1 e fem2), exigir padrões mínimos de qualidades nos eventos, circuitos e campeonatos que tinham o skate feminino e também organizar ranking.
 Mais tarde veio o auxilio “ Bolsa Atleta” que ajudou muitas meninas a continuar competindo e ajudando a elevar o skate feminino.
 
Tudo isso fez com que o numero de eventos , oficinas somente para meninas, nível técnico, numero de skatistas aumentasse cada vez mais .
 Hj temos a Leticia Bufoni, Alessandra Florêncio, Eliana Sosco, Pipa Souza, Xuxa, Bia Sodré entre muitas skatistas com nível técnico bom e que representa muito bem o Brasil e puxa o skate feminino aumentando não só o numero de skatistas na categoria street como no longboard, no bowl, no half...
 
O skate feminino cresceu, cresce e vai crescer ainda mais!  Historias boas e marcos importantes no skate feminino teve um monte. Tanto que daria até para escrever um livro....
 Resumindo, o skate feminino veio pra ficar!
 
logo da antiga associação de skate feminino brasileiro- ABSF

Capa do zine Check It Out com a Amanda na capa, na pista velha de SBC

logo CIO- Check It Out

Giulina Ricomini- b/s rock slide (2000/2001)

Giuliana Ricomini na antiga pista na Barra Funda- flip

1° campeonato da ABSF realizada pela Patiane na antiga pista da Lapa- On Board
Karen Jone, Marta Linaldi e Monica Messias

Leticia Bufoni  no circuito ABSF em 2005- ollie


 

  Vocês também podem acessar o site onde esta publicado esta materia e ver mais fotos: QIX MISSY



 Por : Tat Marques
AMEE

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails
Ocorreu um erro neste gadget